Só Barroso - Automóveis de qualidade

A melhor estrada do mundo para conduzir é portuguesa

A Estrada Nacional (EN) 222 que liga o Peso da Régua ao Pinhão, no distrito de Vila Real, com 27 quilómetros, foi eleita como a melhor estrada do mundo para conduzir, segundo um estudo da Avis.

23 abril 2015

Com 93 curvas, a EN 222, que atravessa o vale do rio Douro, oferece a melhor experiência de condução do mundo porque "o tempo gasto nas rectas torna-se o momento ideal para apreciar a paisagem envolvente antes de chegar à próxima curva, enquanto possibilita ao condutor o prazer e emoção de uma condução desafiante", salientou a análise.

A estrada `Big Sur´, na Califórnia, arrecadou o segundo lugar e a A535, no Reino Unido, ficou em terceiro, num total de 25 troços avaliados.

Para encontrar a melhor estrada do mundo para conduzir, a Avis rent a car desenvolveu o Índice de Condução Avis (ADR -- Avis Driving Ratio) com uma equipa composta por um físico quântico e designers de pistas de Fórmula 1 (F1), de carros de alta cilindrada e de trajectos radicais.

A geometria da estrada, o tipo de condução, a aceleração média e lateral, o tempo de travagem e as distâncias foram os factores tidos em conta para desenvolver o ADR das estradas.

"Existem quatro fases-chave na condução: curvas, aceleração, rectas e travagem. Uma condução em grande depende do equilíbrio entre as quatro fases, permitindo desfrutar de velocidade e aceleração, o teste à capacidade de condução ao longo das retas e o usufruto da paisagem envolvente. Com a criação do ADR foi calculado o equilíbrio ideal entre esses componentes para, cientificamente, comprovar qual a melhor estrada do mundo para conduzir", salientou.

A ligação entre o Peso da Régua e o Pinhão proporciona uma "viagem gloriosa", com vista para a região vinícola do Douro, declarada Património da Humanidade em 2001 pela UNESCO, e permite desfrutar do prazer de conduzir, alternando frequentemente o estilo de condução, referiu o estudo.

Tendo Portugal a melhor estrada do mundo para conduzir, o turismo, nomeadamente na região Norte, poderá ser beneficiado, entendeu a Avis. 

Fonte: Lusa/Sol